Sistema de climatização: 6 erros que precisam ser evitados

6 minutos para ler

Cada vez mais pessoas e empresas querem desfrutar dos benefícios de um bom sistema de climatização. Afinal, essa é uma das melhores formas de garantir ambientes adequados ao desenvolvimento de diversas atividades, sejam práticas dedicadas ao lazer, sejam tarefas profissionais.

Para atender todo tipo de necessidade, no entanto, é preciso avaliar uma série de fatores. O objetivo é verificar se o espaço tem infraestrutura para receber o projeto e, a partir disso, definir quais alterações precisam ser feitas. Cabe ao arquiteto e demais responsáveis cumprir todos os passos para não ter problemas.

Neste post, listamos 6 erros que podem prejudicar o funcionamento do sistema e comprometer a experiência dos seus clientes. Acompanhe para saber como e por que você deve evitá-los!

1. Não planejar o que será feito

Planejar é uma ação básica para o sucesso de vários procedimentos. Quando se trata de uma intervenção que envolve mudanças na estrutura do imóvel, esse passo torna-se ainda mais relevante. Afinal, um projeto de climatização interfere na composição da parte elétrica e hidráulica da edificação.

Muitas casas, apartamentos e prédios comerciais são desenvolvidos de modo que possam receber, a qualquer momento, os aparelhos de ar condicionado. Isso evita transtornos, já que elementos como drenos, tubulações e fiações elétricas são organizados considerando uma futura instalação.

Portanto, avalie a situação do imóvel e planeje as próximas etapas com base na realidade apresentada. Caso perceba que o local não tem infraestrutura para a instalação, você precisará pensar em alternativas que não gerem problemas — deixar os tubos aparentes ou escondê-los no gesso, por exemplo.

2. Desconsiderar as condições do ambiente

Não basta avaliar a estrutura geral do imóvel sem observar as características que compõem seus espaços internos. Isso, porque cada ambiente tem suas características e finalidades de uso, o que resulta em necessidades distintas daquelas presentes em outras áreas.

É importante avaliar aspectos que interferem diretamente na capacidade do aparelho em refrigerar ou aquecer o recinto: tamanho do cômodo, quantidade de aberturas (portas e janelas), número de aparelhos presentes no local, fluxo de pessoas e condições de luz e ventilação natural.

Também aproveite o momento inicial para observar quais superfícies têm condições de receber o ar-condicionado. Podem ser o piso, o teto e até as paredes, contanto que suportem o peso e as vibrações de uma evaporadora e não tenham elementos capazes de bloquear a saída de ar.

3. Descuidar do cálculo de carga térmica

Sem cumprir a etapa anterior com cuidado, fica difícil obter dados suficientes para fazer o dimensionamento preciso do projeto. Nesses casos, o risco de escolher um aparelho inadequado aumenta, gerando desde problemas com consumo excessivo de energia até refrigeração inadequada.

Tenha em mente que, quanto mais usuários e objetos estiverem dentro do recinto, mais potência será necessária para que o ar-condicionado cumpra sua função. Então, faça sempre o cálculo de BTUs com base nos levantamentos anteriores (fluxo de pessoas, dimensões internas, incidência solar etc.).

Encontrar a carga térmica adequada é essencial para que o sistema de climatização funcione perfeitamente. Em geral, são necessários entre 600 e 800 BTUs por metro quadrado, variando para mais ou para menos conforme a configuração do local e o tipo de atividade exercida.

4. Ignorar as recomendações do fabricante

Erros na instalação do aparelho estão entre os principais causadores de problemas. Além de sujeitar o cliente à perda da garantia do produto, podem fazer com que, com o passar do tempo, o sistema falhe, apresentando mau desempenho ou aumento no consumo de energia.

É para evitar consequências como essas que você deve sempre consultar o manual do fabricante, a fim de seguir as recomendações indicadas para todo tipo de procedimento. Ele costuma ter desde instruções para operar o produto até informações sobre a frequência de limpeza e de manutenção.

Ignorar esse importante material produzido pela marca pode resultar em uma série de incômodos: funcionamento defeituoso, desperdício de energia, perda de segurança e até danos irreversíveis nas unidades internas e externas (evaporadoras e condensadores).

5. Esquecer de testar o funcionamento

Profissionais com experiência sabem identificar problemas ao observar os aparelhos em operação. Por isso, é essencial que todos os testes sejam realizados após a instalação, já que o cliente não terá o conhecimento e olhar apurado para fazê-lo sozinho.

Ninguém quer ficar desamparado após a entrega do projeto, certo? Um dos testes mais importantes é o de estanqueidade, que visa descobrir se há vazamento de gás. Quando isso ocorre, os usuários dificilmente percebem, descobrindo que o ar-condicionado não funciona direito só depois de um tempo.

A detecção de um possível vazamento envolve medidas como audição, vácuo e pressurização no sistema. Quaisquer outras conferências devem ser cumpridas pelo profissional responsável, sempre com o objetivo de manter o cliente tranquilo, seguro e satisfeito.

6. Fazer os serviços por conta própria

Muitas pessoas, com o objetivo de economizar ou ganhar tempo, preferem arriscar a execução de serviços que fazem parte do projeto de climatização. Trata-se de uma escolha complicada, já que qualquer falha tem potencial para estragar tudo o que estava previsto no planejamento.

A orientação, portanto, é sempre contratar bons profissionais, independentemente do porte ou tipo de sistema que será incorporado ao imóvel. Os melhores fornecedores têm, além da variedade de aparelhos (split convencional ou inverter, multi-split e outros modelos), equipes autorizadas a prestar diferentes serviços.

São técnicos que conhecem os procedimentos necessários para garantir uma instalação correta e um resultado de qualidade. Ao contar com o preparo das empresas que têm o credenciamento das marcas, você não precisará se preocupar com situações que só geram dores de cabeça.

Perceba que fica muito mais fácil eliminar os erros quando o sistema de climatização é pensado por profissionais focados em suas respectivas áreas. Ou seja, é preciso valorizar cada vez mais o trabalho colaborativo entre arquitetos e times especializados em diferentes serviços.

Se você também está em busca de auxílio para tirar alguma solução de climatização do papel, entre em contato com a equipe da Star Ar-Condicionado e descubra como podemos ajudar em diferentes etapas do seu projeto.

Você também pode gostar